O que o poker pode nos ensinar sobre investimentos

poker e investimentos
Foto: Divulgação/Pixabay

Não é segredo para ninguém que os esportes podem trazer conhecimentos aplicáveis em diversas áreas da atividade humana, incluindo os investimentos no mercado financeiro. Essa gama de ensinamentos é ainda maior quando falamos dos chamados esportes da mente, ou seja, aqueles em que a capacidade de raciocínio e estratégia sobressaem ao esforço físico, como xadrez, dama e poker. Neste artigo, falaremos especificamente da modalidade de cartas, embora algumas dessas dicas também sejam inerentes ao xadrez ou dama, por exemplo.

O poker e o mundo dos investimentos têm muito mais a ver do que você imagina. Afinal, é possível até entender o jogo através da ótica dos investimentos, já que dominar números, ter paciência e outras características são inerentes tanto ao jogador quanto ao investidor. Desta maneira, separamos algumas lições que os investidores podem aprender com os jogadores de poker.

Tudo começa com uma boa gestão de banca

Um fato comum entre todos os grandes jogadores de poker é a boa capacidade em gerir os recursos disponíveis. Praticamente todas as decisões na partida são tomadas levando em consideração o tamanho do stack (ou seja, quantas fichas o jogador ainda tem) e ao potencial de retorno daquele investimento. Em uma análise mais macro, a gestão de banca também diz respeito a quantos e quais torneios o jogador poderá disputar, considerando que todos contam com um valor de entrada, o chamado buy-in. Tudo isso sempre tendo em mente a probabilidade de retorno.

Essa também é uma das premissas básicas de qualquer carteira de investimentos. Afinal, ninguém sai por aí comprando ações, títulos públicos, fundos de investimento imobiliário ou quaisquer outros ativos sem um gerenciamento assertivo do capital disponível e sem saber qual parcela daquele capital será investido.

Saber perder faz parte

Puxando o gancho da dica anterior, o gerenciamento de banca precisa prever todos os cenários – tanto no poker, quanto nos investimentos. Falando do esporte da mente, não existe nenhum grande jogador que jamais tenha perdido uma mão no esporte – e, consequentemente, deixado algumas fichas pelo caminho. Isso acontece diversas vezes no mesmo dia, para se ter uma ideia.

Porém, a chave para que esses competidores tenham sucesso a longo prazo é saber que as perdas fazem parte do planejamento e são inevitáveis – o grande problema é quando elas superam os ganhos, afinal, neste caso, não haveria margem de lucro. Nos investimentos, isso também se aplica e está diretamente ligado ao conceito de stop gain e stop loss , ou seja, estabelecer um ponto de ganho ou perda em que a saída de determinada posição de compra ou venda é ativada imediatamente – de modo que uma perda tenha impacto menor quando comparada aos ganhos.

O lado racional tem que prevalecer

Relação entre jogos e investimentos
Foto: Divulgação/Pixabay

O poker é um esporte da mente e, como tal, regido pelas habilidades psicológicas. Um dos aspectos fundamentais é jogar de forma racional e deixar a emoção influenciar o menos possível na tomada de decisões.

Um bom exemplo disso é a atitude dos grandes jogadores diante de situações adversas. Os melhores sabem que isso faz parte do jogo e que, eventualmente, os ganhos virão, desde que a estratégia seja adequada. Porém, os maus jogadores tendem a tentar recuperar o prejuízo a qualquer custo na mão seguinte. Na maioria das vezes, eles acabam perdendo ainda mais dinheiro com esse tipo de ação, baseada totalmente no emocional.

Nos investimentos, essa máxima se aplica quando o gráfico bate no seu stop loss e vem de imediato aquele desejo insaciável de recuperar o prejuízo a qualquer custo, com uma entrada totalmente divergente do seu padrão operacional. Acredite, o resultado será desastroso no médio e longo prazo e comprometerá sua carteira.

Analise o contexto

Engana-se quem pensa que as decisões de um jogador de poker se baseiam apenas nas cartas que ele tem na mão – embora elas representem um papel crucial. Antes de qualquer tomada de decisão, os bons jogadores analisam o perfil dos adversários, o posicionamento na mesa, o tamanho do pote, a quantidade de fichas restantes, entre outros aspectos. Dessa forma, a decisão é tomada de forma mais assertiva possível.

Investir no mercado financeiro exige a mesma dedicação na análise do contexto. Para quem opera mini-mercados, por exemplo, se atentar apenas a padrões de candle no curto prazo pode ser um erro. O ideal é olhar o contexto do dia, da semana, ou até do mês. Nas ações, o mesmo se aplica, com o adendo de ter também que estar sempre atento ao contexto do setor em que se pretende investir. E, como no poker, tenha a certeza: às vezes, a melhor escolha é simplesmente “fugir”.

Não tenha medo dos números

poker, números e investimentos
Foto: Divulgação/Pixabay

Se você não tem muita afinidade com os números, operar com alto rendimento no mercado financeiro será muito mais difícil. No poker, também funciona assim, afinal, trata-se de um jogo de possibilidades. Há alguns conceitos no esporte da mente conhecidos como “pot odds” ou “implied odds”, que, grosso modo, são probabilidades de vitória considerando as possibilidades de cartas que podem aparecer, aquelas que já estão fora e também a relação entre investimento/retorno.

Há, ainda, muitas outras aplicações da matemática no poker, que exigem dos jogadores de elite uma certa facilidade com números – embora não seja necessário ser um PhD. Da mesma forma, os investimentos também requerem um domínio de análise gráfica que é inviável sem o domínio da matemática.

Não é sorte!

Por fim, uma lição: embora o poker ainda seja apontado por muitos como um jogo de azar, ele é muito mais do que isso. Afinal, o que explica o fato de os mesmos jogadores estarem há anos vencendo torneios? É claro que a sorte é um dos fatores que compõem o pacote, mas a base do sucesso está na estratégia, na tomada de decisões assertivas, no controle de emoções, na análise dos cenários, entre outros aspectos – ou seja, tudo o que falamos aqui e mais um pouco.

Essa é mais uma semelhança com o mundo dos investimentos. Não adianta achar que o sucesso virá com alguns golpes de sorte com determinada compra ou venda de ativo. Sobreviver no mercado exige um preparo alto e uma série de outros componentes. A sorte representa apenas um papel pequeno dentro do conjunto de habilidades que um bom investidor ou um bom jogador de poker deve possuir.