HomeNoticiaFinanciamento Emergencial Autorizado para a Oi Durante Segunda Recuperação...
quarta-feira, julho 24, 2024

Financiamento Emergencial Autorizado para a Oi Durante Segunda Recuperação Judicial

Em uma decisão recente, a Justiça do Rio de Janeiro autorizou a Oi (OIBR3) a fechar um financiamento emergencial na modalidade DIP de US$ 275 milhões (mais de R$ 1,3 bilhão) para garantir recursos e manter as operações da empresa durante a segunda recuperação judicial.

Confira os tópicos abordados neste artigo:
1. Modalidade DIP
2. Acordo preliminar
3. Alerta do juiz Fernando Viana
4. Segunda recuperação judicial

Modalidade DIP

O financiamento DIP (Debtor-in-Possession) é uma modalidade de empréstimo utilizada principalmente em processos de recuperação judicial. Esses empréstimos têm prioridade no pagamento de dívidas e, no caso da Oi, são divididos em duas parcelas: US$ 200 milhões e US$ 75 milhões. Neste caso, a garantia de alienação fiduciária das ações da Oi.

Veja abaixo vídeo explicativo sobre a modalidade DIP:

Acordo preliminar

Um acordo preliminar já foi fechado com os principais credores da empresa, entretanto, ainda precisa ser aprovado em assembleia. Caso o financiamento seja garantido, será possível assegurar a continuidade das operações da Oi durante a segunda recuperação judicial.

Alerta do juiz Fernando Viana

O juiz responsável pelo caso, Fernando Viana, alertou para possíveis impactos na manutenção regular das atividades da Oi caso o financiamento não seja garantido. O magistrado ressalta a importância deste empréstimo para a continuidade do funcionamento da empresa no mercado.

Segunda recuperação judicial

A segunda recuperação judicial da Oi foi aprovada em março, apenas três meses após o fim da primeira. A primeira recuperação judicial da empresa reduziu dívidas de R$ 90 bilhões para R$ 33 bilhões, contudo, a nova RJ foi protocolada com débitos na ordem de R$ 43,7 bilhões.

Segundo o CEO da Oi, Rodrigo Abreu, o novo processo de recuperação judicial será “muito mais rápido” e consensual. Abreu destaca que o financiamento emergencial na modalidade DIP é fundamental para a saúde financeira da empresa e a retomada do crescimento.

CEO da Oi, Rodrigo Abreu
Rodrigo Abreu, CEO da OI

Portanto, a decisão da Justiça do Rio de Janeiro em autorizar o financiamento emergencial é um importante passo para a continuidade das operações da Oi e a consolidação de sua recuperação financeira. A aprovação do empréstimo pelos credores e a efetivação do acordo são fatores cruciais para o futuro da empresa no mercado de telecomunicações.

Cristiano Alvarenga
Cristiano Alvarengahttps://fiibrasil.com
Jornalista profissional, com experiência no mercado bancário e em educação superior. Especialista em dados e apreciador da informação via visualização de dados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais notícias

Veja também