Taxa Selic hoje: por que ela influencia os investimentos e sua vida financeira

Entenda como funciona a taxa Selic, veja a série histórica, com dados tabulados desde 1996, e o cronograma das próximas reuniões do Copom

Quanto custa um empréstimo no Brasil? Qual o valor de juros que você paga nos seus empréstimos? E os juros dos investimentos, como são calculados? 

As respostas estão relacionadas à taxa oficial de juros, a conhecida Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia). O índice serve como parâmetro para todas as taxas de juros, seja quando tomamos empréstimos ou quando fazemos investimentos

Selic: a taxa básica de juros

A Selic é conhecida como a taxa básica de juros e acaba por influenciar a vida financeira de todos os brasileiros. Desde o investidor, na renda fixa ou variável, até o tomador de empréstimos, a definição da política de juros interfere na economia familiar.

A taxa Selic é definida pelo Banco Central, por meio do Comitê de Política Monetária (Copom), e é um importante balizador da economia, utilizada inclusive para o controle da inflação, influencia os juros cobrados nos empréstimos e os investimentos de renda fixa e variável, por exemplo. 

A taxa selic objetiva alinhar a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), à meta imposta pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).  

O que é a Selic? 

A SELIC é um sistema eletrônico utilizado pelo Banco Central para registrar todas as operações de débitos e créditos efetuadas entre os bancos e instituições financeiras autorizadas. Essas transações são lastreadas por meio de títulos públicos.

O Banco Central exige que ao final do dia cada banco tenha valor pré-determinado em caixa para assegurar a liquidez dos empréstimos, ou seja, os bancos precisam ter alguma quantia de dinheiro disponível caso seus clientes saquem. É o chamado depósito compulsório. 

No entanto, às vezes um banco pode ter menos dinheiro disponível ao final do dia do que o mínimo exigido enquanto outros bancos podem ter mais. Neste caso, os bancos emprestam dinheiro entre si, por um dia ou melhor por uma noite, para que no final todos os bancos tenham o mínimo de caixa exigido pelo BACEN. 

Essa operação de emprestar dinheiro por uma noite é conhecida como overnight ou operação compromissada. A taxa de juros que referencia essas operações é baseada na Selic.

Quem define a meta para a taxa Selic?

Esse papel cabe ao Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom). Não é uma imposição, mas um encaminhamento que influencia toda a economia. o direcionamento é feito na compra ou venda de títulos para interferir no mercado. Vamos a um exemplo:

Digamos que um título público custa hoje R$ 800 e promete pagar R$ 1.000 daqui a um ano. Isso quer dizer que os juros desse título são de R$ 200, ou 25% em um ano. Se o Banco Central quer fazer essa taxa subir, ele aumenta a oferta de títulos no mercado.

Pela lei da oferta e da demanda, o preço cai. Passa, digamos, para R$ 700. Aí, todo mundo compra porque, afinal, está mais barato. Assim, aumenta a diferença entre o dinheiro investido e o que vai ser recebido no futuro. Ou seja, aumentam os juros.

Mas se o Banco Central quer baixar a taxa, ele vai ao mercado e compra títulos. Aumenta a demanda e o preço sobe. Passa, digamos, para R$ 900. Os novos juros, portanto, vão ficar mais baixos (10% ao ano).

Por que a Selic afeta a sua vida? 

Uma premissa básica do mercado é que a taxa de juros varia de acordo com o prazo e com o risco de inadimplência de um empréstimo. Quanto mais longo o empréstimo e quanto menos certeza o credor tem sobre a possibilidade de ver seu dinheiro de volta, maior é a taxa de juros cobrada. 

Um empréstimo de um dia de um banco para outro, lastreado em títulos públicos, é uma operação de baixíssimo risco. Por isso a Selic é chamada de taxa básica da economia. 

Sobe a Selic, sobem todas as outras taxas. Cai a Selic, as outras também caem. A taxa do seu empréstimo no banco é necessariamente muito maior que a Selic. Você não pode dar a garantia do Tesouro Nacional. E seus empréstimos não são de um dia só. 

Como a Selic influencia a inflação? 

No Brasil, a taxa Selic é o principal mecanismo de controle da inflação. De uma forma simplificada, funciona assim. O dono de uma loja tem dez bicicletas. À vista, elas custam R$ 1.000 cada uma. Num cenário em que a economia vai bem e os juros estão baixos, existem 15 pessoas na vizinhança dispostas a pegar empréstimo para comprar uma bicicleta. 

O dono da loja então tem um incentivo para aumentar o preço. Ele vai cobrar o máximo que puder até ter dez compradores para as dez bicicletas. Esse aumento, quando acontece em vários setores da economia, é chamado de inflação. 

Se o Bacen sobre os juros, com o aumento da taxa Selic, os financiamentos e empréstimos ficam mais caros, e isso desestimula o consumo das famílias e os investimentos das empresas. Com juros mais altos, a bicicleta de R$1.000 vai sair, por exemplo, em 12 parcelas de R$100. Aí, em vez de 15 pessoas querendo comprar, só vai ter oito. Se falta comprador, o dono da loja não tem motivo algum para aumentar o preço. Pode até ter que diminuir. É assim que o Banco Central usa a taxa Selic para controlar a inflação.

Duas funções importantes da taxa Selic

A primeira é a de financiar as dívidas do governo. Quando o governo não consegue pagar todas as suas dívidas e despesas apenas com a arrecadação de impostos, ele busca dinheiro nos bancos, instituições financeiras e também no mercado de ativos.

Para arrecadar esse dinheiro o governo emite títulos públicos que têm como garantia o próprio país. Assim, são considerados altamente seguros porque dificilmente o país irá quebrar.

A taxa Selic serve como parâmetro para remunerar quem comprou os títulos públicos, ou seja, quanto maior a taxa Selic, mais recursos serão recebidos por estes investidores.

Neste sentido, os investimentos relacionados à renda fixa são beneficiados com uma possível alta da taxa Selic.

Já a segunda função da taxa Selic é de ser parâmetro para as demais taxas cobradas nas operações financeiras no mercado brasileiro. A taxa de juros de empréstimos e financiamentos são baseadas na Selic, bem como as remunerações dos investidores em modalidades de renda fixa. Até mesmo o investimento em ações e fundos imobiliários é influenciada pela taxa básica de juros. 

Qual a taxa atual da Selic?

A taxa atual da Selic é de 5,25%. A meta foi definida em reunião realizada pelo Copom no dia 04 de agosto de 2021. O valor representa acréscimo de 1% em relação ao índice anterior. Foi a quarta alta seguida da taxa básica de juros.

Até março de 2021 a taxa Selic era de 2%, no entanto, saltou para 2,75%, 3,5% e 4,25% até chegarmos ao índice atual.

Série histórica

Ao longo da história houve grande variação na taxa Selic, desde o início da sua criação (em junho de 1996).  O menor valor foi contabilizado em 1997, com a taxa de juros a 1,58%. Por outro lado, em março de 1999, a Selic alcançou o maior valor, com 45%.

Veja as metas Selic das 240 reuniões realizadas pelo Copom:

DataMeta SELIC % a.a.Período de vigênciaReunião
04/08/20215,2505/08/2021 -240º
16/06/20214,2517/06/2021 - 04/08/2021239º
05/05/20213,5006/05/2021 - 16/06/2021238º
17/03/20212,7518/03/2021 - 05/05/2021237º
20/01/20212,0021/01/2021 - 17/03/2021236º
09/12/20202,0010/12/2020 - 20/01/2021235º
28/10/20202,0029/10/2020 - 09/12/2020234º
16/09/20202,0017/09/2020 - 28/10/2020233º
05/08/20202,0006/08/2020 - 16/09/2020232º
17/06/20202,2518/06/2020 - 05/08/2020231º
06/05/20203,0007/05/2020 - 17/06/2020230º
18/03/20203,7519/03/2020 - 06/05/2020229º
05/02/20204,2506/02/2020 - 18/03/2020228º
11/12/20194,5012/12/2019 - 05/02/2020227º
30/10/20195,0031/10/2019 - 11/12/2019226º
18/09/20195,5019/09/2019 - 30/10/2019225º
31/07/20196,0001/08/2019 - 18/09/2019224º
19/06/20196,5021/06/2019 - 31/07/2019223º
08/05/20196,5009/05/2019 - 20/06/2019222º
20/03/20196,5021/03/2019 - 08/05/2019221º
05/02/20196,5006/02/2019 - 20/03/2019220º
11/12/20186,5012/12/2018 - 05/02/2019219º
31/10/20186,5001/11/2018 - 11/12/2018218º
19/09/20186,5020/09/2018 - 31/10/2018217º
01/08/20186,5002/08/2018 - 19/09/2018216º
20/06/20186,5021/06/2018 - 01/08/2018215º
16/05/20186,5017/05/2018 - 20/06/2018214º
21/03/20186,5022/03/2018 - 16/05/2018213º
06/02/20186,7507/02/2018 - 21/03/2018212º
05/12/20177,0006/12/2017 - 06/02/2018211º
24/10/20177,5025/10/2017 - 05/12/2017210º
06/09/20178,2508/09/2017 - 24/10/2017209º
26/07/20179,2527/07/2017 - 06/09/2017208º
31/05/201710,2501/06/2017 - 26/07/2017207º
12/04/201711,2513/04/2017 - 31/05/2017206º
22/02/201712,2523/02/2017 - 12/04/2017205º
10/01/201713,0011/01/2017 - 22/02/2017204º
29/11/201613,7530/11/2016 - 10/01/2017203º
18/10/201614,0019/10/2016 - 29/11/2016202º
31/08/201614,2501/09/2016 - 18/10/2016201º
20/07/201614,2521/07/2016 - 31/08/2016200º
08/06/201614,2509/06/2016 - 20/07/2016199º
27/04/201614,2528/04/2016 - 08/06/2016198º
02/03/201614,2503/03/2016 - 27/04/2016197º
19/01/201614,2520/01/2016 - 02/03/2016196º
24/11/201514,2525/11/2015 - 19/01/2016195º
20/10/201514,2521/10/2015 - 24/11/2015194º
02/09/201514,2503/09/2015 - 20/10/2015193º
29/07/201514,2530/07/2015 - 02/09/2015192º
03/06/201513,7504/06/2015 - 29/07/2015191º
29/04/201513,2530/04/2015 - 03/06/2015190º
04/03/201512,7505/03/2015 - 29/04/2015189º
20/01/201512,2521/01/2015 - 04/03/2015188º
02/12/201411,7503/12/2014 - 20/01/2015187º
28/10/201411,2529/10/2014 - 02/12/2014186º
03/09/201411,0004/09/2014 - 28/10/2014185º
16/07/201411,0017/07/2014 - 03/09/2014184º
28/05/201411,0029/05/2014 - 16/07/2014183º
02/04/201411,0003/04/2014 - 28/05/2014182º
26/02/201410,7527/02/2014 - 02/04/2014181º
14/01/201410,5015/01/2014 - 26/02/2014180º
26/11/201310,0027/11/2013 - 14/01/2014179º
09/10/20139,5010/10/2013 - 26/11/2013178º
28/08/20139,0029/08/2013 - 09/10/2013177º
10/07/20138,5011/07/2013 - 28/08/2013176º
29/05/20138,0030/05/2013 - 10/07/2013175º
17/04/20137,5018/04/2013 - 29/05/2013174º
06/03/20137,2507/03/2013 - 17/04/2013173º
15/01/20137,2516/01/2013 - 06/03/2013172º
27/11/20127,2528/11/2012 - 15/01/2013171º
10/10/20127,2511/10/2012 - 27/11/2012170º
29/08/20127,5030/08/2012 - 10/10/2012169º
11/07/20128,0012/07/2012 - 29/08/2012168º
30/05/20128,5031/05/2012 - 11/07/2012167º
18/04/20129,0019/04/2012 - 30/05/2012166º
07/03/20129,7508/03/2012 - 18/04/2012165º
17/01/201210,5018/01/2012 - 07/03/2012164º
29/11/201111,0030/11/2011 - 17/01/2012163º
18/10/201111,5019/10/2011 - 29/11/2011162º
31/08/201112,0001/09/2011 - 18/10/2011161º
20/07/201112,5021/07/2011 - 31/08/2011160º
08/06/201112,2509/06/2011 - 20/07/2011159º
20/04/201112,0021/04/2011 - 08/06/2011158º
02/03/201111,7503/03/2011 - 20/04/2011157º
18/01/201111,2519/01/2011 - 02/03/2011156º
07/12/201010,7508/12/2010 - 18/01/2011155º
19/10/201010,7520/10/2010 - 07/12/2010154º
01/09/201010,7502/09/2010 - 19/10/2010153º
21/07/201010,7522/07/2010 - 01/09/2010152º
09/06/201010,2510/06/2010 - 21/07/2010151º
28/04/20109,5029/04/2010 - 09/06/2010150º
17/03/20108,7518/03/2010 - 28/04/2010149º
26/01/20108,7527/01/2010 - 17/03/2010148º
08/12/20098,7509/12/2009 - 26/01/2010147º
20/10/20098,7521/10/2009 - 08/12/2009146º
02/09/20098,7503/09/2009 - 20/10/2009145º
22/07/20098,7523/07/2009 - 02/09/2009144º
10/06/20099,2511/06/2009 - 22/07/2009143º
29/04/200910,2530/04/2009 - 10/06/2009142º
11/03/200911,2512/03/2009 - 29/04/2009141º
20/01/200912,7521/01/2009 - 11/03/2009140º
09/12/200813,7510/12/2008 - 20/01/2009139º
28/10/200813,7529/10/2008 - 09/12/2008138º
10/09/200813,7511/09/2008 - 28/10/2008137º
23/07/200813,0024/07/2008 - 10/09/2008136º
04/06/200812,2505/06/2008 - 23/07/2008135º
16/04/200811,7517/04/2008 - 04/06/2008134º
05/03/200811,2506/03/2008 - 16/04/2008133º
22/01/200811,2523/01/2008 - 05/03/2008132º
04/12/200711,2505/12/2007 - 22/01/2008131º
17/10/200711,2518/10/2007 - 04/12/2007130º
05/09/200711,2506/09/2007 - 17/10/2007129º
18/07/200711,5019/07/2007 - 05/09/2007128º
06/06/200712,0007/06/2007 - 18/07/2007127º
18/04/200712,5019/04/2007 - 06/06/2007126º
07/03/200712,7508/03/2007 - 18/04/2007125º
23/01/200713,0024/01/2007 - 07/03/2007124º
28/11/200613,2529/11/2006 - 23/01/2007123º
17/10/200613,7518/10/2006 - 28/11/2006122º
30/08/200614,2531/08/2006 - 17/10/2006121º
19/07/200614,7520/07/2006 - 30/08/2006120º
31/05/200615,2501/06/2006 - 19/07/2006119º
19/04/200615,7520/04/2006 - 31/05/2006118º
08/03/200616,5009/03/2006 - 19/04/2006117º
17/01/200617,2518/01/2006 - 08/03/2006116º
13/12/200518,0014/12/2005 - 17/01/2006115º
22/11/200518,5023/11/2005 - 13/12/2005114º
18/10/200519,0019/10/2005 - 22/11/2005113º
14/09/200519,5015/09/2005 - 18/10/2005112º
17/08/200519,7518/08/2005 - 14/09/2005111º
20/07/200519,7521/07/2005 - 17/08/2005110º
15/06/200519,7516/06/2005 - 20/07/2005109º
18/05/200519,7519/05/2005 - 15/06/2005108º
20/04/200519,5022/04/2005 - 18/05/2005107º
16/03/200519,2517/03/2005 - 21/04/2005106º
16/02/200518,7517/02/2005 - 16/03/2005105º
18/01/200518,2519/01/2005 - 16/02/2005104º
14/12/200417,7515/12/2004 - 18/01/2005103º
16/11/200417,2517/11/2004 - 14/12/2004102º
19/10/200416,7520/10/2004 - 16/11/2004101º
15/09/200416,2516/09/2004 - 19/10/2004100º
18/08/200416,0019/08/2004 - 15/09/200499º
21/07/200416,0022/07/2004 - 18/08/200498º
16/06/200416,0017/06/2004 - 21/07/200497º
19/05/200416,0020/05/2004 - 16/06/200496º
14/04/200416,0015/04/2004 - 19/05/200495º
17/03/200416,2518/03/2004 - 14/04/200494º
18/02/200416,5019/02/2004 - 17/03/200493º
20/01/200416,5021/01/2004 - 18/02/200492º
16/12/200316,5017/12/2003 - 20/01/200491º
18/11/200317,5019/11/2003 - 16/12/200390º
21/10/200319,0022/10/2003 - 18/11/200389º
17/09/200320,0018/09/2003 - 21/10/200388º
20/08/200322,0021/08/2003 - 17/09/200387º
23/07/200324,5024/07/2003 - 20/08/200386º
18/06/200326,0019/06/2003 - 23/07/200385º
21/05/200326,5022/05/2003 - 18/06/200384º
23/04/200326,5024/04/2003 - 21/05/200383º
19/03/200326,5020/03/2003 - 23/04/200382º
19/02/200326,5020/02/2003 - 19/03/200381º
21/01/200325,5022/01/2003 - 19/02/200380º
17/12/200225,0018/12/2002 - 21/01/200379º
19/11/200222,0020/11/2002 - 17/12/200278º
22/10/200221,0023/10/2002 - 19/11/200277º
14/10/200221,0015/10/2002 - 22/10/200276º ex.
18/09/200218,0019/09/2002 - 14/10/200275º
21/08/200218,0022/08/2002 - 18/09/200274º
17/07/200218,0018/07/2002 - 21/08/200273º
19/06/200218,5020/06/2002 - 17/07/200272º
22/05/200218,5023/05/2002 - 19/06/200271º
17/04/200218,5018/04/2002 - 22/05/200270º
20/03/200218,5021/03/2002 - 17/04/200269º
20/02/200218,7521/02/2002 - 20/03/200268º
22/01/200219,0023/01/2002 - 20/02/200267º
18/12/200119,0019/12/2001 - 22/01/200266º
20/11/200119,0021/11/2001 - 18/12/200165º
17/10/200119,0018/10/2001 - 20/11/200164º
19/09/200119,0020/09/2001 - 17/10/200163º
22/08/200119,0023/08/2001 - 19/09/200162º
18/07/200119,0019/07/2001 - 22/08/200161º
20/06/200118,2521/06/2001 - 18/07/200160º
23/05/200116,7524/05/2001 - 20/06/200159º
18/04/200116,2519/04/2001 - 23/05/200158º
21/03/200115,7522/03/2001 - 18/04/200157º
14/02/200115,2515/02/2001 - 21/03/200156º
16/01/200115,2517/01/2001 - 14/02/200155º
19/12/200015,7520/12/2000 - 16/01/200154º
21/11/200016,5022/11/2000 - 19/12/200053º
17/10/200016,5018/10/2000 - 21/11/200052º
20/09/200016,5021/09/2000 - 17/10/200051º
23/08/200016,5024/08/2000 - 20/09/200050º
19/07/200016,5020/07/2000 - 23/08/200049º
17,0010/07/2000 - 19/07/200048º
20/06/200017,5021/06/2000 - 07/07/200048º
24/05/200018,5025/05/2000 - 20/06/200047º
19/04/200018,5020/04/2000 - 24/05/200046º
18,5029/03/2000 - 19/04/200045º
22/03/200019,0023/03/2000 - 28/03/200045º
16/02/200019,0017/02/2000 - 22/03/200044º
18/01/200019,0019/01/2000 - 16/02/200043º
14/12/199919,0015/12/1999 - 18/01/200042º
09/11/199919,0010/11/1999 - 14/12/199941º
06/10/199919,0007/10/1999 - 09/11/199940º
22/09/199919,0023/09/1999 - 06/10/199939º
01/09/199919,5002/09/1999 - 22/09/199938º
28/07/199919,5029/07/1999 - 01/09/199937º
23/06/199921,0024/06/1999 - 28/07/199936º
22,0009/06/1999 - 23/06/199935º
19/05/199923,5020/05/1999 - 08/06/199935º
27,0013/05/1999 - 19/05/199934º
29,5010/05/1999 - 12/05/199934º
32,0029/04/1999 - 07/05/199934º
14/04/199934,0015/04/1999 - 28/04/199934º
39,5006/04/1999 - 14/04/199933º
42,0025/03/1999 - 05/04/199933º
04/03/199945,0005/03/1999 - 24/03/199933º
17/01/199925,0018/01/1999 - 04/03/199932º
15/12/199829,0016/12/1998 - 17/01/199931º
10/11/199819,0011/11/1998 - 15/12/199830º
07/10/199819,0008/10/1998 - 10/11/199829º
10/09/199819,0011/09/1998 - 07/10/199828º ex.
02/09/199819,0003/09/1998 - 10/09/199827º
29/07/199819,7530/07/1998 - 02/09/199826º
24/06/199821,0025/06/1998 - 29/07/199825º
20/05/199821,7521/05/1998 - 24/06/199824º
15/04/199823,2516/04/1998 - 20/05/199823º
04/03/199828,0005/03/1998 - 15/04/199822º
27/01/199834,5028/01/1998 - 04/03/199821º
16/12/199738,0001/01/1998 - 27/01/199820º
18/11/19972,9030/11/1997 - 30/12/199719º
29/10/19973,0530/10/1997 - 29/11/199718º ex.
21/10/19971,0031/10/1997 - 29/11/199717º
17/09/19971,5801/10/1997 - 29/10/199716º
20/08/19971,5801/09/1997 - 30/09/199715º
23/07/19971,5801/08/1997 - 31/08/199714º
18/06/19971,5801/07/1997 - 31/07/199713º
21/05/19971,5801/06/1997 - 30/06/199712º
16/04/19971,5801/05/1997 - 31/05/199711º
19/03/19971,5801/04/1997 - 30/04/199710º
19/02/19971,6201/03/1997 - 31/03/1997
21/01/19971,6631/01/1997 - 28/02/1997
17/12/19961,7031/12/1996 - 30/01/1997
26/11/19961,7430/11/1996 - 30/12/1996
22/10/19961,7831/10/1996 - 29/11/1996
23/09/19961,8201/10/1996 - 30/10/1996
21/08/19961,8801/09/1996 - 30/09/1996
30/07/19961,9001/08/1996 - 31/08/1996
26/06/19961,9001/07/1996 - 31/07/1996

Quando é definida a taxa Selic?

A taxa Selic é definida nas reuniões do Copom que ocorrem periodicamente de 45 em 45 dias. Assim, são realizados oito encontros por ano. 

como funciona a reunião do copom
Infográfico: Bacen

As reuniões ocorrem em dois dias, geralmente nas terças e quartas. No primeiro dia é feita uma apresentação do cenário econômico, tanto no Brasil quanto no exterior. Já no segundo dia é feita avaliação das perspectivas de inflação e definida e divulgada a taxa Selic.

Na quarta-feira anterior à reunião inicia o período de silêncio do Copom. Já na terça-feira posterior à divulgação da meta Selic finda o período de silêncio e é divulgada a ata do encontro.

Segundo o Banco Central, os parâmetros de decisão do Copom são influenciados pela inflação, as contas públicas, a atividade econômica e o cenário internacional.

Calendário de Reuniões do Copom

A próxima reunião do Copom será realizada nos dias 21 e 22 de setembro de 2021, quando será conhecida a nova taxa Selic.

Em 2021 ainda acontecerão outras duas reuniões. Em 26 e 27 de outubro e e e 8 de dezembro.

Reuniões do Copom 2022

Conforme determina a legislação, o Banco Central divulgou em 18 de junho de 2021 o calendário de reuniões do Copom de 2022. Veja o cronograma completo:

  • 1º e 2 de fevereiro;
  • 15 e 16 de março;
  • 3 e 4 de maio;
  • 14 e 15 de junho;
  • 2 e 3 de agosto;
  • 20 e 21 de setembro;
  • 25 e 26 de outubro;
  • 6 e 7 de dezembro.

Quem compõe o Copom?

O Comitê de Política Monetária é composto pelo presidente e diretores do BC. 

Na última reunião do Copom,  realizada nos dias 3 e 4 de agosto de 2021, participaram, com direito a voto, os seguintes representantes: 

Composição do Copom Bacen
Bruno Serra Fernandes, Diretor de Política Monetária, Paulo Souza, diretor de Fiscalização, João Manoel, diretor de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução, Carolina de Assis Barros, diretora de Administração, Roberto Campos Neto, Presidente, Fernanda Nechio, diretora de Assuntos Internacionais e de Gestão de Riscos Corporativos, Mauricio Moura, diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania, Carlos Viana de Carvalho, diretor de Política Econômica, Otávio Ribeiro Damaso, diretor de Regulação | Foto: Raphael Ribeiro/BCB
  • Roberto Oliveira Campos Neto – Presidente
  • Carolina de Assis Barros
  • Fabio Kanczuk
  • Fernanda Magalhães Rumenos Guardado
  • João Manoel Pinho de Mello
  • Maurício Costa de Moura
  • Otávio Ribeiro Damaso
  • Paulo Sérgio Neves de Souza